Paulo Ganime: “Investimentos no mercado de óleo e gás do Rio já são reflexos da nova Lei do Gás”

Ganime divulgará tecnologia da Embrapa para agricultores familiares
23/08/2021
Frente Parlamentar Brasil Competitivo lança agenda legislativa para reduzir Custo Brasil
01/09/2021

O estado do Rio de Janeiro já começa a colher os resultados da aprovação da nova Lei do Gás. Estudo da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) aponta a chegada de R$ 50 bilhões em investimentos e a criação de 63 mil empregos no mercado de óleo e gás até 2023 no Rio. “Com certeza, grande parte desses investimentos motivados pela nova legislação, que abre o mercado a novos investidores, favorecendo em especial o Rio, que é o maior produtor de petróleo e gás do país”, afirmou o deputado Paulo Ganime (NOVO/RJ) nesta quarta-feira (25) durante a websérie da Firjan “Óleo, Gás e Naval – Anuário do Petróleo no Rio 2021”.

“Esse momento é de extrema importância para o Brasil, e principalmente para o nosso estado. Mas não podemos cometer o mesmo erro do passado, quando não aproveitamos toda a riqueza gerada pelo petróleo e gás, inclusive nos beneficiando com expectativas de receitas futuras, mas não criamos uma alternativa econômica a esse mercado”. Ganime destacou que essa mudança de atitude vale tanto para o setor econômico como também para as finanças estadual e municipais.

O deputado pediu mais seriedade e responsabilidade principalmente por parte dos gestores públicos na aplicação dos recursos provenientes do setor: “As receitas desse mercado não são estáveis, tanto pela oscilação dos preços das commodities e do dólar quanto pela produção. “Essa é uma oportunidade para construir um novo futuro, menos dependente do setor de óleo e gás. Não podemos deixar passar mais um cavalo selado, que a gente não vai montar ou vai montar e caminhar na direção errada. Foi o que aconteceu na última oportunidade que tivemos no Rio”.

Ganime ressaltou a urgência de a Agenersa (Agência Reguladora de Energia e Saneamento), vinculada ao governo do estado, regulamentar a nova Lei do Gás no Rio, a fim de permitir que as empresas possam programar seus investimentos. O parlamentar destacou ainda a necessidade de se oferecer cursos de formação profissional voltados ao setor de óleo e gás, mas também à inovação. “O Sistema S, os Institutos Federais e as universidades têm feito um trabalho muito bom, mas precisamos de uma integração entre eles, fundamental para melhor aproveitamento dos recursos humanos”.

Segundo o deputado, o estado do Rio tem tanto potencial nas áreas de óleo, gás e energia, que qualquer projeto bom para o Rio será automaticamente bom para o Brasil. Ele destacou também a importância de torcer sempre por quem está no cargo Executivo em prol do Rio e do Brasil. Participaram da websérie Bruno Freitas, presidente do Conselho de Petróleo e Gás da Firjan; Vinícius Farah, secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Energia e Relações Internacionais; e o deputado estadual Luiz Paulo, com a moderação de Karine Fragoso, gerente de Petróleo, Gás e Naval da Firjan. A instituição lançou a sexta edição do “Anuário do Petróleo no Rio 2021”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *